Ao falar em Aula Invertida, pensamos em como funciona… Será que a criança consegue cumprir os objetivos e desenvolver as habilidades necessárias?

 

Como funciona?

Para que serve?

Qual é o resultado dessa proposta?

 

“O que a criança é capaz de fazer hoje em colaboração conseguirá fazer amanhã sozinha.” (VIGOTSKI, 2001, p. 331)

Segundo Vigotski a criança que se esforça para realizar as atividades em conjunto com certeza será capaz de desenvolvê-la com propriedade sozinha no futuro.

Na sala de aula invertida.(flipped classroom) o aluno age como protagonista, o professor solicita que o aluno leia algum material, ou assista a um vídeo, ouça um arquivos de áudio ou outro material tecnológico, antes da aula propriamente dita, para que chegue com uma certa bagagem. Em sala aprofunda-se o conteúdo já visto com atividades diversificadas, estudo de casos, visitas as outras salas, discussão em grupos para compartilhar as experiências.

Nessa perspectiva Aula invertida se dá:

 

Aquela que enfatiza o uso das tecnologias para o aprimoramento do aprendizado, de modo que o professor possa utilizar melhor o seu tempo em sala de aula em atividades interativas com seus alunos ao invés de gastá-lo apenas apresentando conteúdo em aulas expositivas tradicionais (Barseghian, 2011).

 

Ao final da aula o aluno se coloca, dizendo o que aprendeu e explanando o assunto para os demais, fazendo-se assim um transmissor de conhecimentos, assim podemos analisar quem pesquisou, e cumpriu os objetivos desenvolvendo assim as habilidades esperadas, eis que dessa maneira, o professor age de fato como mediador entre o aluno e o conhecimento e não como “Detentor do conhecimento”

 

Esse tipo de aula apresenta contribuições importantes, desenvolve competência, responsabilidade, autonomia, traz motivação, desenvolve o hábito de leitura, e melhora a aprendizagem e disposição para trabalho em equipe além disso valoriza o papel do professor, como orientador dos percursos de pesquisa e mediador entre estudantes e conhecimentos.